A Sacada mais importante para quem quer ser fluente – Parte 3
10/12/2021
Felipe André

Como vencer a procrastinação,
a preguiça e o desânimo?


09-12-2021


Como vencer a procrastinação, a preguiça e o desânimo?


Hoje eu quero falar com você que sofre com o desânimo, luta com a preguiça, com a procrastinação, com a falta de vontade e acaba não fazendo aquilo que precisa ser feito.

Tenta falar inglês, mas nunca consegue, tenta emagrecer e não consegue, começa um monte de projetos, mas não consegue terminar nada… adia, desiste, procrastina tudo.

O meu desafio é, até o final deste post, é te ajudar a vencer a procrastinação te mostrando algo que provavelmente você nunca enxergou, nunca descobriu, eu estou falando a respeito de uma verdade incontestável sobre você. Até o final deste artigo, eu vou te mostrar e te provar que hoje, sem precisar mudar absolutamente nada no seu interior, você já tem o poder exercitar a proatividade, que é a capacidade de subordinar as suas vontades, desejos, emoções e sentimentos ao seus sonhos, ao seu futuro.

E para começar, antes de qualquer coisa, preciso que você entenda a grande sacada por trás disso:


Quando você encontra o propósito da sua vida, você se torna líder das suas emoções, senhor da sua agenda e autor do seu futuro.


Eu preciso que você internalize isso agora, então, vamos repetir:

Quando eu encontro o meu propósito de vida:
me torno líder das minhas emoções; senhor da minha agenda e autor do seu futuro.

Uma das perguntas que meus alunos mais me fazem é como lidar com a procrastinação. Todo mundo quer saber como vencer o desânimo, a preguiça que bate forte, vence e faz com que as pessoas acabem desistindo não só do inglês, mas de qualquer outro desafio na vida. O que me deixa mais intrigado é que a maioria dos alunos que me pergunta isso acabou de comprar o curso. É gente que se matriculou há menos de dez dias e já está sofrendo com a preguiça e com o desânimo.

Talvez isso já tenha acontecido contigo também. Você acabou de se matricular na academia, na faculdade, acabou de comprar um curso on-line, acabou de contratar um personal, acabou de se consultar com um nutrólogo para iniciar uma dieta mais saudável, mas em pouquíssimos dias, o gás acaba, você começa a rastejar, não cumpre mais as tarefas diárias daquele projeto, não consegue mais mandar na sua agenda, desiste de tudo e se pergunta o que fazer para vencer a procrastinação.

Você precisa entender que é inútil querer ser senhor da sua agenda se você ainda não é líder das suas emoções e é impossível liderar suas emoções se você não tem um propósito maior para isso, ou seja, é inútil se preocupar com seu futuro se você nem sequer consegue mandar na sua agenda. Você entende isso? Você não tem o poder de criar o seu futuro diretamente. Você cria hábitos e é o conjunto desses hábitos que forma o seu futuro. Criar hábitos é cumprir agenda, é realizar aquelas pequenas tarefas que você planejou. É uma grande perda de tempo me preocupar com meu futuro se eu não mando nem na minha agenda.

Quando encontro o propósito da minha vida, me torno líder das minhas emoções e quando isto acontece, de fato, me torno senhor da minha agenda e passo a ser o autor do meu futuro. Eu vou te dar um exemplo prático que vai clarear tudo isso na sua cabeça. Presta bastante atenção porque a partir de agora eu vou começar a te explicar como se tornar líder das suas emoções.

Digamos que você me encontra na rua e me pergunta: Como vencer a procrastinação, como vencer a preguiça, o desânimo que sempre me vence e no final das contas eu acabo não fazendo o que precisa ser feito? Daí eu te respondo assim: Vai lá e vence agora! Vence essa preguiça agora! Certamente, você me diria: Mas, Felipe, não é assim, não é fácil assim… se fosse fácil como você está falando, eu já teria feito.

Sabe o que isso significa? Sabe o que você realmente me respondeu? Eu te dei uma ordem, vá e vença! Você me responde dizendo que não é fácil assim. Mas, o que a sua resposta realmente diz é o seguinte: Felipe, não é assim. Quem foi que te disse que eu controlo as minhas emoções? Quem disse que eu consigo mandar nos meus sentimentos? Quem disse que eu sou senhor das minhas vontades? Não é assim, Felipe, eu não sou dono das minhas emoções e nem controlo os meus sentimentos.

Isso é muito forte! Se você quer fazer parte do grupo dos 5% de brasileiros fluentes em inglês, esse entendimento tem que ser consolidado na sua cabeça.

Por trás das suas respostas, existe uma crença, uma atitude mental que se traduz da seguinte maneira: Felipe, não é assim, acontece que eu sou escravo das minhas vontades e não consigo construir meus sonhos.

Você ainda não teve a revelação, ainda não exercitou a verdade, o fato de que é 100% capaz de subordinar o seus impulsos ao seu futuro. Você ainda se permite ser dominado pela procrastinação, pelo desânimo e pela preguiça porque ainda não entendeu que é totalmente capaz de subordinar essa preguiça ao seu futuro. Entenda essa verdade!

Isso não é autoajuda, nova era, PNL… isso aqui é a verdade! Para vencer a procrastinação, você não precisa se tornar outra pessoa, você só precisa descobrir quem realmente é. Um leão não se torna um Leão, ele apenas descobre que é um Leão! A única coisa que ele precisa é descobrir quem ele é! A única coisa que uma águia precisa é descobrir quem ela é, ela já sabe voar, ela não precisa aprender a voar, basta que ela descubra que já sabe voar e exercite essa verdade.

Hoje, do jeito que você está, já existe aí dentro o potencial para vencer a procrastinação, a preguiça e o desânimo. Você não precisa se tornar um campeão para isso, você só precisa descobrir que já é um campeão, esse potencial já existe dentro de você.

Depois de entender essa verdade e de descobri-la dentro de si mesmo, você só precisa encontrar um motivo maior - propósito - de preferência um propósito que envolva a felicidade de outras pessoas e, finalmente, começar a exercitar o músculo da proatividade.

Agora eu vou te provar, na prática, que você é totalmente capaz de vencer a procrastinação.

Puxa agora na sua memória, lembra aí de quando você estava envolvido numa disputa entre seus amigos, quando tomou uma bronca de um médico, quando estava envolvido numa gincana, numa competição, quando fez um aposta, quando comprou um curso, quando você estava na empolgação, no tesão do início do projeto que sempre mexe com as nossas emoções, você venceu o desânimo. Eu tenho certeza de que em alguma dessas situações, durante alguns dias, você conseguiu vencer a procrastinação e a preguiça.

Ou seja, você é capaz.

Qual foi o problema? O problema foi que como sua motivação era externa, em poucos dias ela passou, apagou, mas isso não significa que você seja escravo da procrastinação, mas prova que por alguns dias ou semanas você conseguiu vencer. Não importa por qual motivo, você conseguiu vencer. A grande questão é conseguir despertar esse mecanismo dentro de você, por si mesmo, sem depender de pessoas ou fatores externos, e conseguir sustentar isso pelo tempo necessário.

A maior dificuldade não é virar um campeão. A maior dificuldade é descobrir, por conta própria, que já sou um campeão. É como se, constantemente, você se esquecesse disso. Você precisa descobrir que já é um campeão e se lembrar dessa verdade o tempo inteiro, aconteça o que acontecer.


O seu maior desafio é despertar dentro de si mesmo a motivação para vencer e conseguir sustentar isso.


Você é capaz de subordinar a procrastinação aos seus valores, ao seu futuro. Você já fez isso. Porém, o fator motivacional externo foi embora e você perdeu a motivação - motivo para a ação - perdeu o motivo para agir.

Você não é fraco, desanimado e nem procrastinador, você só foi condicionado a vencer por fatores externos, como a compra do curso, a bronca do médico, o resultado dos exames que mostram risco de infarto, a aposta, a competição, enfim, quando algum fator externo como esses te pressiona, durante um período você consegue vencer a procrastinação.

Agora, deixa eu te fazer algumas perguntas bem sérias:

Por que você não aprende a se motivar? Porque não se torna alguém automotivado? Por que a sua vida tem que ficar na minha mão?

Como assim? Eu te explico.

Muitas pessoas pedem que eu faça mentorias, reuniões on-line e outras coisas para motivá-las. Se eu faço coisas do tipo, sempre recebo um monte de mensagens de alunos dizendo que se motivaram, que se fortaleceram para retornar os estudos. Se eu for até a casa de algum aluno, olhar nos olhos dele e dizer que acredito no seu potencial e que ele vai sim alcançar a fluência ou se eu ligar e der uma injeção de motivação nele, é certeza que esse aluno vai passar algumas semanas estudando forte, ou seja, a vida dele está na minha mão.

Como é que alguém entrega o poder de ser motivado nas mãos de outra pessoa? Como é que alguém permite que outra pessoa, através de uma simples reunião ou ligação governe sua motivação?

Ações motivacionais funcionam, são legais, por isso eu faço. Mas, servem apenas como um estímulo a mais, não podem ser 100% da fonte de motivação das pessoas.

Quando você permite que 100% da sua motivação esteja baseada na ação dos outros, você entrega a sua agenda nas mãos dos outros e, por consequência, está entregando o seu futuro nas mãos dos outros.

A mesma coisa acontece em relação a estímulos e recompensas. Muitos de nós, parados e desanimados, ao menor estímulo ou promessa de recompensa rápida, ressuscitamos e voltamos a agir, a produtividade e a proatividade explodem. Imagine aí que eu te convidei para participar de um reality show valendo R$ 1.000.000,00. O nome do reality é LA CASA DA FLUÊNCIA e as regras são bem simples, em seis meses, quem sair fluente da casa ganha o prêmio. Provavelmente, você daria um jeito de voltar a estudar, pararia de procrastinar, você daria seu jeito para se tornar fluente.

Mas, com recompensa é diferente, né? Com grana, tudo muda. Talvez você esteja pensando assim também. A verdade é que para muita gente as coisas funcionam assim mesmo, ou seja, não sou capaz de me motivar pelo meu sonho, o dinheiro tem mais força para me motivar do que o meu futuro. Até quando você vai pensar assim?

Mais um exemplo que ilustra bem o que eu estou tentando te mostrar: muitos que procrastinam começar uma dieta saudável e fazer exercícios, no dia em que passam mal e vão parar na emergência tomando uma bronca de um médico, mudam na hora, ou seja, a doença, a desgraça e a notícia ruim motivam mais do que um futuro de plenitude e saúde.

Até quando você vai permitir ser motivado pelos outros e por fatores externos? Quando é que você vai tomar a sua vida nas suas mãos? Eu estou falando de autonomia emocional.

A maioria de nós dá mais valor para o dinheiro, para a desgraça, para a doença, para a ameaça do que para o nosso futuro.

De qualquer maneira, através de todos esses exemplos que eu te dei, ficou muito claro que dentro de nós já existe o poder para vencer a procrastinação. Mas, infelizmente, nós permitimos que outras pessoas tenham a autoridade para trazer nossa autodisciplina para fora. Eu entendo que seja meio chocante constatar isso, mas se a sua motivação está 100% nas mãos de outras pessoas e baseada em fatores externos, não é você que está no comando da sua vida, não é você quem está definindo o seu futuro. Isso tem que parar.

Então, na prática, você precisa descobrir, entender que a proatividade já está dentro de você, encontrar um motivo maior, um propósito, de preferência que envolva a felicidade dos outros e começar a exercitar essa proatividade.

Desenvolver e exercitar a sua proatividade vai te custar tudo, o preço é alto! Desistir, procrastinar, deixar para depois sempre vai ser mais fácil, sempre vai ser mais gostoso. É por isso que, antes de mais nada, antes de começar a empreitar esse projeto de desenvolvimento da sua proatividade, você precisa encontrar um propósito maior, um propósito digno de todo o preço a ser pago.

Esse é o segredo, esse é o pulo do gato para começar a exercitar a proatividade que você já tem e enfim, vencer a procrastinação. É aqui que nasce a autodisciplina que se perpetua no tempo, que não passa em poucos dias, que é sustentável: quando sua motivação não está mais baseada nos outros e nem em fatores externos, mas sim num propósito digno, num propósito maior ligado à felicidade de outras pessoas.

Agora sim, agora você tem um motivo para não desistir do projeto com uma semana, agora você olha para frente e enxerga um propósito que justifica todo o seu esforço e desistir já não é mais uma opção. Você consegue sustentar a sua motivação!

Você quer entrar para o grupo dos 5% fluentes? Por quê? Qual é o propósito maior, o propósito digno para você se tornar fluente? Você já descobriu isso? Se não, pode continuar se matriculando num monte de cursos aí que a única coisa que vai continuar acontecendo é procrastinação e desistência.

Eu vou resumir tudo que a gente falou até agora em quatro passos práticos. Vou chamar isso de Os Quatro Estágios da Vitória Sobre a Procrastinação:

Estágio: Encontrando o meu propósito - você descobre qual é o propósito maior, o propósito digno por trás daquele desafio. Esse propósito fica claro a ponto de você, por si mesmo, se sentir estimulado e motivado para pagar todo o preço que aquela jornada vai te cobrar. Aqui, você começa a exercitar a proatividade, que é a a capacidade que você já tem de subordinar suas vontades, emoções e sentimentos ao seu futuro.

Estágio: Liderando as minhas emoções - Quase que sem perceber, você começa a ter a força necessária para dizer não para o desânimo, para a preguiça e faz o que tem que ser feito, com ou sem vontade de fazer. É muito louco porque, depois de uma vida cedendo, seus desejos não mandam mais em você.

Estágio: Eu me torno o senhor da minha agenda - Você começa a cumprir cada vez mais fielmente aquilo que se propôs a fazer, tarefa por tarefa. As circunstâncias e fatores externos não te tiram mais do trilho.

Estágio: Eu me torno o autor do meu futuro - Você descobriu um propósito digno para começar a exercitar a sua proatividade, então, passou a ser o líder de suas emoções, daí assumiu o controle da sua agenda e já ficou bem claro que sua vida não está mais nas mãos de outras pessoas. Neste estágio, você começa a perceber que, de fato, está no controle, está construindo o futuro que sempre sonhou, independente de qualquer estímulo externo. Cumprir o seu propósito se tornou a sua maior motivação.

Assim, eu desmontei, decifrei para você o segredo nº 1 dos fluentes, dos magros, dos milionários, dos campeões, de quem alcança qualquer tipo de sucesso:


FAZER O QUE EU TENHO QUE FAZER, QUANDO EU TENHO QUE FAZER, ESTANDO COM VONTADE OU NÃO.


O nome disso é autodisciplina, a habilidade de fazer o que tem que ser feito, quando tem que ser feito, com vontade de fazer ou não. Sem a menor dúvida, essa é a característica nº 1 dos fluentes.

Agora, presta muita atenção porque eu quero finalizar te dando uma excelente notícia sobre autodisciplina. Guardei o melhor para o final.

Muitas pessoas tratam autodisciplina como um dom, algo relacionado à genética ou uma aptidão que se você tiver nascido sem, já era. Isso é mentira!

Autodisciplina é hábito desenvolvido, é repetição, é uma habilidade que pode ser desenvolvida por qualquer pessoa, inclusive por você.

É isso! Agora finalizando mesmo, quero te dizer que eu jamais escreveria sobre algo que não vivi. Eu vivenciei cada uma dessas chaves que eu te dei aqui, aliás, a minha vida mudou completamente por conta desse entendimento. Então, viva! Coloque tudo que leu aqui em prática, descubra seu propósito, lidere suas emoções, seja o dono da sua agenda, assuma o controle da sua vida e construa o seu futuro.

Vença a procrastinação, a preguiça e o desânimo! A sua fluência depende disso! Vá e vença.

gdpr-image
Esse website utiliza cookies para melhorar sua experiência. Utilizando esse website, você está de acordo com nossa Política de Privacidade de Dados.